Confira as últimas notícias sobre a Transal e o mercado de transportes.

07/06/2013

Scania e Poli-USP se unem para estudar tecnologia de motores

Acordo entre a montadora de veículos pesados e a Escola Politécnica da Universidade de São Paulo tem como objetivo instalar um laboratório para estudos acerca dos motores da marca; análises serão voltadas para a redução de emissão de gases poluentes na at

A montadora Scania e a Poli-USP (Escola Politécnica da Universidade de São Paulo) firmaram um acordo de cooperação tecnológica para desenvolver um laboratório que permitirá uma análise aprofundada de algumas características dos motores a diesel.

Propósito

O projeto, que é realizado por meio da FDTE (Fundação para o Desenvolvimento Tecnológico da Engenharia), tem como finalidade contribuir para a redução de emissão de gases poluentes na atmosfera. O plano, que terá quatro anos de duração, prevê a instalação de um laboratório da Scania no Parque Tecnológico de Sorocaba (SP), para a realização de ensaios com o equipamento a ser desenvolvido.

Surgimento

A iniciativa veio a partir da parceria entre a montadora e a Universidade de Estocolmo. O modelo matemático inicial foi fruto do trabalho acadêmico de um aluno de mestrado que trabalhava na equipe de Jairo de Lima Souza, gerente de pesquisa e desenvolvimento de trem-de-força da Scania Latin America. O estudo foi apresentado à Escola Politécnica da USP, que decidiu dar continuidade à pesquisa. A Scania forneceu os subsídios para a integração do professor Massarani ao projeto, que conduzirá as demais etapas da pesquisa no Brasil.

Jairo de Lima Souza explica que o equipamento que será desenvolvido permitirá estudar o comportamento do fluxo de ar dentro do motor.

“Nosso objetivo é apresentar modelos matemáticos representativos do fenômeno e a construção de um laboratório protótipo que viabilizará a verificação e validação de teorias geradas em simulações virtuais. O projeto será desenvolvido com o apoio de equipamentos de escaneamento a laser de última geração. Essas ferramentas gerarão modelos tridimensionais que, por sua vez, irão viabilizar a comparação das simulações virtuais com os resultados de laboratório”, comenta.

Está previsto também o desenvolvimento de um software para previsão e controle do comportamento do fluxo de ar no motor. A ferramenta poderá utilizada posteriormente no processo de manufatura de cabeçotes de motores.

“Os resultados devem subsidiar as pesquisas que explicarão os fenômenos que influenciam a liberação de gases poluentes pelos motores a diesel”, diz o coordenador do projeto, Prof. Dr. Marcelo Massarani, do Centro de Engenharia Automotiva da Poli-USP.

Segundo Massarani, o projeto terá a participação de cerca de 20 pessoas, entre professores, pesquisadores e alunos da universidade, assim como profissionais da Scania.



Fonte: Portal Transporta Brasil


Outras notícias