Confira as últimas notícias sobre a Transal e o mercado de transportes.

06/08/2009

PR suspende cirurgias agendadas; prioridade total para a gripe A.

A suspensão é uma medida preventiva e atinge todos os hospitais públicos e os privados que atendem pelo SUS.

Todas as cirurgias eletivas que precisam de leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) foram adiadas por 30 dias no Paraná. A suspensão dos procedimentos foi determinada pela Secretaria de Estado da Saúde (Sesa) nesta quarta-feira (5). O objetivo é garantir um reserva de leitos para pacientes com a gripe A (H1N1).

“A determinação garante que mais leitos de UTI fiquem disponíveis caso precisemos internar pacientes que apresentem insuficiência respiratória aguda grave e outras complicações”, explicou o superintendente de Gestão em Saúde da Secretaria, Irvando Carulla, em nota divulgada pela secretaria.

A suspensão atinge todos os hospitais públicos e os privados que atendem pelo Sistema Único de Saúde (SUS). De acordo com a Sesa, a determinação já foi repassada às Regionais de Saúde, responsáveis por transmiti-la aos hospitais. A medida é preventiva. “Hoje, não há nenhum paciente com insuficiência respiratória aguardando leito de UTI no Paraná”, garantiu Carulla.

Mortes

Foram confirmadas mais duas mortes por gripe A H1N1 no Paraná, uma em Foz do Iguaçu, no Oeste, e outra em Maringá, no Noroeste, nesta quarta-feira (5). Com os novos casos, sobe para 27 o número de mortos pela nova gripe no Paraná.

Em Foz, o óbito foi confirmado pelo secretário municipal de saúde, Luiz Fernando Zarpelon. A vítima é uma paciente de 55 anos que morreu no dia 28 de julho. A mulher estava internada desde o dia 23 de julho no Hospital Cataratas. Este é o segundo caso na cidade.

Em Maringá, um homem de 40 anos que estava internado e que já havia sido diagnosticado com a gripe A H1N1 morreu nesta quarta-feira. Segundo o secretário de saúde, Antonio Carlos Nardi, o paciente estava no hospital desde 24 de julho.

A Secretaria de Estado da Saúde (Sesa) não confirmou os números, pois aguarda o resultado de exames complementares que devem determinar se a causa da morte dos dois pacientes foi o vírus H1N1. O balanço oficial da secretaria ainda contabiliza 25 mortes no estado. Do total, 19 ocorreram na região de Curitiba, duas na região de Ponta Grossa, uma na região de Foz do Iguaçu, uma na região de Londrina e duas na região de Jacarezinho. Os números foram divulgados pelo o secretário estadual de saúde, Gilberto Martin, na terça-feira (4).


Fonte: Gladson Angeli - Gazeta do Povo


Outras notícias