Confira as últimas notícias sobre a Transal e o mercado de transportes.

26/08/2010

Petróleo fecha a US$ 71,63, menor nível em dois meses

Contratos de petróleo com entrega para outubro fecharam com queda de US$ 1,47

NOVA YORK - Os contratos futuros de petróleo fecharam hoje no menor nível em mais de dois meses, caindo abaixo de US$ 72 o barril. A commodity foi influenciada pela queda das bolsas norte-americanas e pelo dado sobre o mercado imobiliário do país, que forneceu mais sinais de uma recuperação econômica lenta.

Os contratos de petróleo com entrega para outubro fecharam com queda de US$ 1,47 (2,01%), a US$ 71,63 o barril na Bolsa Mercantil de Nova York (Nymex, na sigla em inglês). Na plataforma ICE, o petróleo do tipo Brent fechou com redução de US$ 1,24 (1,68%), a US$ 72,38 o barril.

Os preços do petróleo caíram em dez das últimas 11 sessões, após terem atingido uma máxima de US$ 82 no começo do mês. Nesse período, foram divulgados dados econômicos decepcionantes, uma tendência que não mostra sinais de estar arrefecendo.

Hoje, a Associação Nacional de Corretores de Imóveis divulgou que as vendas de imóveis residenciais usados nos EUA caíram 27,2% em julho, para a taxa anualizada de 3,83 milhões de unidades, nível mais baixo em 15 anos.

"O dado sobre a venda de imóveis residenciais foi horrível, embora já fosse esperado", disse Matt Smith, analista do mercado de petróleo da Summit Energy. "Os investidores estão assustados, fugindo do risco". O dado foi o último de uma série de relatórios econômicos ruins, o que inclui uma alta contínua nos pedidos de auxílio-desemprego e a deterioração da perspectiva do Federal Reserve (Fed, banco central dos EUA) sobre o crescimento econômico.

A retração na venda dos imóveis e a queda nos mercados de ações hoje ofuscaram o enfraquecimento do dólar, o que geralmente ajuda a impulsionar os preços do petróleo, tornando a commodity mais barata para compradores que usam outras moedas. A divisa norte-americana caiu para o menor nível em 15 anos em relação ao iene, e também recuou ante o euro.

O alto nível de desemprego e os receios sobre a economia tiveram um forte impacto na demanda por petróleo e combustíveis, o que manteve os estoques nos EUA no maior nível em quase 27 anos. Consumidores reduziram seus gastos com viagens e outras despesas, deixando o mercado saturado com gasolina, em meio à importante temporada de férias de verão.

Os grandes estoques ajudaram a fazer com que o preço da gasolina caísse para o menor nível em oito meses hoje. A gasolina reformulada (RBOB) com entrega para setembro fechou com queda de US$ 0,0316 (1,68%), a US$ 1,8494 o galão.

Enquanto isso, os operadores estão esperando pelo relatório do Departamento de Energia (DOE) sobre os estoques de petróleo e derivados, que sai amanhã. Analistas esperam que os estoques de petróleo bruto registrem uma queda de 200 mil barris, segundo uma pesquisa da Dow Jones. Hoje, o American Petroleum Institute (API) divulga o seu próprio relatório, mas será preciso uma mudança significativa para ter algum impacto na perspectiva negativa. As informações são da Dow Jones.


Fonte: Canal do Transporte


Outras notícias