Confira as últimas notícias sobre a Transal e o mercado de transportes.

04/06/2009

Para ir e voltar de Florianópolis a Curitiba, o motorista gastará R$ 8,80 ao passar pelos pedágios

Entrou em funcionamento a praça de Araquari. É a terceira do Estado e a 4ª até a capital do PR

Desde a zero hora desta quinta-feira, o motorista que precisar viajar de Florianópolis a Curitiba terá que desembolsar R$ 4,40 a mais. Entrou em funcionamento nesta madrugada a praça de pedágio de Araquari, no km 76,4 da BR-101. É a terceira do Estado e a quarta até a capital paranaense. A última praça, em Palhoça, ao Sul de Florianópolis, deve ficar pronta até o fim do mês. Com os R$ 4,40 gastos nos pedágios (R$ 1,10 por praça), o dono de um carro popular poderia rodar cerca de 25 km a mais na rodovia. Contando ida e volta (R$ 8,80), a mesma pessoa poderia fazer 50 km a mais ou economizar 8,8% do que gasta com a gasolina.

A conta no bolso é simples. Basta pegar um carro popular 1.0, que faz cerca de 15 km por litro na estrada. Divide-se a distância de 300 km entre as duas capitais pelo consumo. E multiplica-se por R$ 2,48, o preço médio da gasolina em SC na última semana, segundo a Agência Nacional do Petróleo (ANP). São cerca de R$ 100 para ir e voltar, mais os R$ 8,80 dos pedágios. Para motos, ônibus e caminhões, a tarifa é diferente.

Para quem anda de ônibus, houve um aumento de R$ 0,35 desde fevereiro, com a inauguração da praça de Garuva. A passagem de Florianópolis a Curitiba passou de R$ 39,99 para R$ 40,34 (sem seguro), segundo a Autoviação Catarinense. A Reunidas, que também opera linhas no trecho das praças, informou que a passagem não subiu e que não há previsão de reajustes.

Segundo a Autopista Litoral Sul, concessionária que administra o pedágio, o dinheiro é revertido em serviços aos usuários. Reforços na sinalização, as ambulâncias e os guinchos de cor amarela, que podem ser vistos diariamente na rodovia, fazem parte do investimento. A exemplo dos outros locais, a praça de pedágio de Araquari tem 20 cancelas e quatro destinadas ao Via Fácil — sistema eletrônico em que o veículo tem um chip, não precisa parar e paga a conta via boleto.

Nas próximas semanas, apenas duas pistas da Via Fácil e 14 cancelas (sete em cada sentido) irão funcionar. Se o tráfego aumentar, a empresa tem funcionários à disposição para ativar todas as cancelas.


Fonte: A Notícia


Outras notícias