Confira as últimas notícias sobre a Transal e o mercado de transportes.

27/11/2007

Natal aquece o transporte de cargas

A aproximação do final do ano significa aquecimento dos negócios para as empresas de transporte rodoviário em Minas Gerais, segundo o presidente do Sindicato das Empresas de Transporte de Cargas no Estado de Minas Gerais (Setcemg), Vander Francisco Costa. "Nossa movimentação acompanha o desempenho da economia que, normalmente, é mais aquecida no último trimestre do ano", disse.

De acordo com ele, o período de outubro até a primeira quinzena de dezembro é a melhor época do ano para a movimentação de cargas, estimuladas pelas encomendas típicas de final de ano. "Novembro é o auge do setor, com destaque para a última semana. O volume de carga transportado nesse mês é cerca de 15% superior ao verificado em outubro", observou.

O dirigente não estima números, mas disse que a movimentação neste mês até o momento está melhor em relação ao ano passado. No acumulado de janeiro a outubro o volume de transporte contratado registrou expansão na ordem de 5% ante o mesmo intervalo do ano anterior, segundo Costa, estimulado pelos segmento de siderurgia, mineração, agronegócio, autopeças e automotivo.

Ele destacou que depois do dia 15 de dezembro o volume transportado cai, não só em função das entregas natalinas já feitas, mas, principalmente, em virtude das férias coletivas de várias indústrias.

Para o ano, Costa estima expansão entre 4% e 5% no faturamento ante o exercício passado, quando o incremento foi de ordem de 3% frente a 2005. "O volume de carga está sendo maior que o ano anterior e isto é positivo, mas pode se tornar um problema para quem não tem frota própria, pois hoje existe mais dificuldade para se conseguir caminhões", disse.

O presidente do Setcemg afirmou que a infra-estrutura do país, apesar de ter melhorado em alguns aspectos na comparação com o exercício passado, ainda é um problema enfrentado pelas empresas de transporte de carga. "O piso asfáltico está melhor em várias rodovias, mas isto só não basta, é necessário realizar o alongamento e a duplicação das mesmas", observou.

De acordo com ele, hoje há cerca de 130 mil caminhões emplacados em Minas Gerais e aproximadamente 1,5 mil empresas atuando no setor de transporte de cargas, concentradas na Região Metropolitana de Belo Horizonte, Triângulo Mineiro e Vale do Aço. "Agora, há empresas do comércio e da indústria que têm frota própria, nesse caso, o número pode subir para 7 mil, 8 mil empresas", disse. São cerca de 50 mil empregos diretos gerados pelo segmento no Estado, que conta ainda como muitos trabalhadores autônomos.

O presidente da Tora Logística, Paulo Sérgio Ribeiro, disse que os últimos meses do ano são positivos para várias empresas do setor, impulsionadas pelas encomendas de final de ano. "No nosso caso, a influência do Natal é pequena em virtude do perfil dos nossos negócios. Afinal, transportamos mais insumos e produtos semi-elaborados", disse.

Com sede em Contagem, na Região Metropolitana de Belo Horizonte (RMBH), a expectativa da Tora para o ano é de expansão no faturamento de 20% a 25% ante o resultado de 2006, estimulado por vários setores, com destaque para siderurgia e automotivo.


Fonte: ABTC


Outras notícias