Confira as últimas notícias sobre a Transal e o mercado de transportes.

03/03/2009

Multas aplicadas por radares de trânsito diminuem em SP

Em sete meses, a queda foi de 51% para 23,3% do total de infrações. Até junho de 2008, mais da metade das multas vinham dos radares.

Em pouco menos de sete meses, o porcentual de multas aplicadas por radares em São Paulo despencou de 51% para 23,3% sobre o total de infrações. Das 312.948 multas computadas em janeiro, 58,3% foram aplicadas pela fiscalização de agentes da Companhia de Engenharia de Tráfego (CET) e outros 18,4%, por policiais militares. Até junho de 2008, mais da metade das multas eram aplicadas pela fiscalização eletrônica.

A inversão de proporcionalidade no número de multas na capital paulista ocorre quatro meses após entrar em vigor o contrato com as duas empresas incumbidas de instalar 354 novos equipamentos. Mas, segundo dados disponíveis no site da SPTrans, estão em operação atualmente na cidade 98 barreiras eletrônicas, 87 radares fixos e 13 radares estáticos - 198 aparelhos, ou 55,93% do total previsto para entrar em operação. Ainda existem 108 registradores fotográficos de invasões semafóricas (“caetano”) e 33 de faixas exclusivas.

A gestão Gilberto Kassab (DEM) ainda não liquidou um centavo dos R$ 18,922 milhões empenhados às empresas Splice e Consilux. A Splice informou ter instalado 98 aparelhos nas ruas. Por meio de sua assessoria de imprensa, a empresa diz estar cumprindo o cronograma estabelecido pelo governo municipal. Sobre o fato de não ter recebido dinheiro do governo pelo contrato assinado no ano passado, a empresa diz que isso ocorre porque os novos radares ainda estão sendo aferidos pela SPTrans. A Consilux, por sua vez, informou que somente o governo municipal poderia falar sobre o funcionamento dos radares.


Fonte: Portal de Notícias G1


Outras notícias