Confira as últimas notícias sobre a Transal e o mercado de transportes.

24/08/2009

Gigante chinesa chega no Brasil com o “pé direito”

Montadora inicia atuação no País com o SUV Tiggo, que disputará espaço com o Sportage, EcoSport e Tucson com um preço mais vantajoso

Ela está no topo do ranking das empresas mais bem sucedidas na indústria automotiva da China, onde o mercado consome 13 milhões de veículos por ano, é atendido por 150 montadoras e lista como o segundo maior produtor de automóveis no mundo. Com toda a expertise do mercado chinês, a Chery passou a mirar espaço em território internacional e neste ano ultrapassa as fronteiras do Brasil com a expectativa de conquistar o consumidor brasileiro com o SUV Tiggo, que terá como principais concorrentes o Sportage, o EcoSport e o Tucson. Uma vantagem em relação a esses veículos? O preço! O Tiggo custará R$ 49.900.

“Estamos vivendo um momento histórico no mercado automotivo. A entrada dos chineses no mercado brasileiro será uma revolução”, disse Luis Cury, CEO da Chery Brasil. Segundo o executivo, a empresa que nasceu em 1997 cresce na margem de 20% ao ano. Um patrimônio 100% estatal e com 22 mil trabalhadores, entre eles seis mil engenheiros que atuam no centro de pesquisa e desenvolvimento, a Chery tem como missão “ser uma marca automotiva de presença global”, salientou Cury.

Com isso, o foco da empresa hoje está voltado para o mercado externo. Neste ano, a marca espera comercializar 500 mil unidades em todos os seus mercados. Em 2008, a empresa comercializou 360 mil carros. “Há dez anos, a marca é líder nas vendas entre as montadoras chinesas”, observou o CEO.

Brasil

Com sede em Salto, interior de São Paulo, a Chery inicia sua atuação no País com 30 revendas em 14 estados. Porém, de acordo com Cury, terá, até o fim do ano, 55 revendas em 20 estados. “O Brasil é um grande teste para o mercado ocidental. Está tudo sendo feito para que corra tudo bem”.

Ao abrir as portas no Brasil, a montadora espera comercializar de 4.500 carros até o fim deste ano. Para isso, além do Tiggo, que chegará às revendas na próxima semana, lançará mais três modelos nos próximos quatro meses: o Chery QQ (versão de entrada) que custará R$ 22.900; o Chery Face, um monovolume que será vendido por R$ 29.900, e o Chery “New Name”, cujo nome para o mercado brasileiro ainda está em análise, cujo preço será R$ 42.900 - hath ou sedan.

Os benefícios em relação aos concorrentes vão desde a garantia completa por três anos até os itens de série. O lançamento da marca no Brasil, por exemplo, tem como opcional apenas o banco de couro. “O consumidor brasileiro aceitará de pronto a marca Chery”, observou Cury.

Em 2010, a Chery deve apresentar ainda mais três modelos no País. Conforme disse o executivo, “a perspectiva de receita da marca no Brasil é de aproximadamente R$ 400 milhões”.

A montadora estuda ainda a possibilidade de implantar uma planta industrial no País, que também atenderá a demanda de exportação da marca. Atualmente, a Chery exporta para mais de 70 países a partir da China.


Tiggo

“Entramos no Brasil com o Tiggo. Queremos dar para a Chery uma identidade de qualidade, design e tecnologia”, ressaltou o CEO da marca no País. “Queremos acabar com o estigma do produto chinês”, completou.

O Tiggo é SUV 4x2 2.0, movido a gasolina, com câmbio mecânico e motor de 135 cavalos de potência que chega a 165 quilômetros por hora. O modelo chega ao Brasil completo, com travas e vidros elétricos, airbags e ar-condicionado, entre outros itens de série.

Esse e os outros modelos da marca contarão com o serviço “Road Assistence” “24 horas por dia sete dias por semana”, disse Cury. Com isso, a empresa presta auxílio ao motorista gratuitamente em todo o território nacional, por meio de uma parceria com a Brasil Assistência, do Grupo Mapfre Seguros.

No pós-venda, a Chery disponibilizará serviços de revisão a partir dos 2.500 quilômetros.
“Queremos ter um monitoramento mais acirrado em comparação com outras montadoras”, ressaltou o executivo. Essa primeira revisão custará R$ 39. Um pacote para as revisões futuras está sendo estudado pela marca


Fonte: Webtranspo: Eliane Leite


Outras notícias