Confira as últimas notícias sobre a Transal e o mercado de transportes.

18/05/2010

CNI projeta superávit primário de 2,5% em 2010

Para a entidade, 'ritmos de expansão de despesas e receitas ainda mantêm os superávits primários distantes das metas estipuladas para 2010'

BRASÍLIA - A Confederação Nacional da Indústria (CNI) prevê que as contas do setor público consolidado fecharão 2010 com um superávit primário de 2,5% do PIB. Para a entidade, "os ritmos de expansão de despesas e receitas ainda mantêm os superávits primários do governo federal e dos governos regionais distantes das metas estipuladas para 2010". Para 2010, a meta do setor público consolidado é de um superávit primário de 3,3% do PIB.

Para cumprirem as metas, avalia a CNI, "tanto o governo federal quanto os governos regionais deverão conter o ritmo de crescimento das despesas nos próximos meses". Segundo Informe Conjuntural divulgado hoje pela CNI, as despesas com juros deverão somar 5,55% do PIB em 2010, "o que não deve permitir uma melhora significativa dos resultados fiscais mais amplos". Assim, a CNI projeta que o déficit nominal cairá de 3,3% do PIB em 2009 para 3,05% do PIB em 2010. A relação dívida/PIB deverá passar de 42,8% no final de 2009 para 41,8% do PIB em dezembro de 2010.

Entidade revê saldo comercial para baixo

A recuperação mais rápida das importações em relação às exportações tem reduzido o saldo comercial brasileiro, segundo avaliação da CNI. Diante disso, a entidade reviu para baixo sua projeção de saldo comercial para 2010 e agora prevê um superávit de US$ 10 bilhões ante US$ 13 bilhões projetados em dezembro de 2009.

Segundo o Informe Conjuntural da CNI, divulgado há pouco, "em um cenário sem intensificação de medidas protecionistas e de remoção gradual de incentivos à demanda, esperamos crescimento pouco superior de 20% nas exportações, que alcançariam US$ 185 bilhões em 2010". Antes, a previsão era de exportações de US$ 188 bilhões neste ano.

A CNI avalia que, com a recuperação da atividade econômica no país e a manutenção do real em nível valorizado, as importações continuarão impulsionadas. Assim, a previsão da entidade é de que as importações somem US$ 175 bilhões neste ano.

Para o déficit em transações correntes, a CNI projeta um saldo de US$ 50 bilhões. "O real valorizado e a recuperação mais rápida da economia brasileira estão elevando o déficit, que alcançou US$ 31,5 bilhões o acumulado em 12 meses até março, o equivalente a 1,86% do PIB. Mesmo com o esperado aumento do investimento estrangeiro direto, o déficit irá se deteriorar e fechar o ano em torno de US$ 50 bilhões", prevê a CNI.

A previsão da entidade para a taxa nominal de câmbio, na média do ano, é de R$ 1,78 por dólar.


Fonte: O Estadão


Outras notícias