Confira as últimas notícias sobre a Transal e o mercado de transportes.

13/12/2007

Biodiesel desaparece dos postos antes da mistura B2

O temor da possibilidade de faltar biodiesel no mercado no próximo ano - quando a mistura de 2% sobre o diesel será obrigatória - está fazendo com que o combustível desapareça das bombas nos postos de abastecimento neste mês. De um lado, produtores estão segurando o produto para entregarem às distribuidoras apenas a partir de 1 de janeiro, quando serão obrigados a cumprirem os contratos com as distribuidoras. De outro lado está a Petrobras, que vem segurando o produto para compor um estoque e evitar que falte o combustível no primeiro mês de obrigatoriedade no ano.

A informação foi confirmada por três fontes consultadas junto ao setor de distribuição de combustíveis. Oficialmente, tanto a Petrobras quanto a Agência Nacional do Petróleo (ANP) dizem que o abastecimento está normal e qualquer falta neste momento de transição não será punida porque a mistura ainda não é obrigatória. "Quando começar a vigorar a obrigatoriedade, as penalidades serão cumpridas e equivalem ao valor do combustível vendido. Ou seja, os produtores que não entregarem o combustível vendido em leilão serão severamente punidos e não poderão participar de mais nenhum outro leilão", disse o diretor da ANP, Haroldo Lima.

Na semana passada, o presidente da BR Distribuidora, José Eduardo Dutra, admitiu que os postos de abastecimento da rede com biodiesel ficavam abaixo dos 90%, e não mais em 100% como havia previsto a BR no início de 2007. Dutra, entretanto, minimizou o problema, dizendo que os estoques estavam normais e todos os problemas com logística enfrentados durante o decorrer de 2007 já haviam sido solucionados e o abastecimento seria normal no próximo ano.

De acordo com um técnico da Ipiranga, única empresa a misturar o produto ao diesel além da Petrobras, na semana passada deixaram de ser entregues cerca de 500 mil litros. "Neste final de ano tornou-se comum faltar o biodiesel. Está todo mundo segurando o produto, seja porque está de olho em melhores preços, no caso dos produtores, seja porque está temendo que o combustível falte quando houver a obrigatoriedade da mistura", disse o técnico.

Segundo fonte de uma outra distribuidora, já circula entre as empresas um modelo padrão de informativo a ser encaminhado à ANP no caso de o biodiesel faltar em 2008. Na carta-padrão que será adotada pelas empresas que compõem o Sindicato Nacional das Distribuidoras (Sindicom), a empresa que não receber o biocombustível afirma que não mais fornecerá diesel no período. "Entre ser multada e deixar faltar o óleo diesel nos postos, as distribuidoras vão escolher esta segunda opção, a menos que a ANP a libere de fazer a mistura por algum motivo", explicou a fonte.

Outras duas questões que estão permeando a entrada do biodiesel no mercado em 2008 são relativas à falta de pessoal da ANP para efetuar a fiscalização nos postos e também em relação ao preço do produto. "Durante o ano de 2007, a Petrobras arcou com a diferença entre o preço do biodiesel adquirido em leilão e o que é vendido à distribuidora. Esta diferença equivale a pelo menos R$ 1,00 por litro, já que o biodiesel chega à distribuidora com o mesmo preço do diesel, mas é comprado por um valor maior.
 
As informações são do Jornal do Comércio - RS.


Fonte: ABTC


Outras notícias