A seguir relacionamos para você algumas curiosidades e recomendações sobre o setor de transporte.

É preciso respeitar a vida útil do amortecedor

De acordo com as especificações dos fabricantes, o amortecedor deve ser trocado a cada 40 000 km. Isso dependendo das condições de uso do automóvel.

De acordo com as especificações dos fabricantes, o amortecedor deve ser trocado a cada 40 000 km. Isso dependendo das condições de uso do automóvel. Para se ter uma idéia, numa estrada em bom estado de conservação, os amortecedores se comprimem uma média de 2 625 vezes a cada quilômetro percorrido, o que equivale a 105 milhões de ações estabilizadoras.

E não é preciso ser nenhum especialista para perceber que é a hora de trocar o amortecedor de seu carro. A primeira medida é verificar o tempo de vida útil do equipamento. É possível visualizar vazamentos de óleo, empenamento das hastes e perceber ruídos que indicam que as buchas de fixação estão desgastadas.

Os amortecedores com vida útil comprometida podem levar o carro a perder estabilidade em curvas e pistas ruins; balançar excessivamente após freadas e arrancadas; vibrar e fazer ruídos na suspensão; aumentar o desgaste dos outros componentes da suspensão e desgastar prematuramente os pneus.

No caso de troca, especialistas no assunto, como Ivo Izidoro da Silva, gerente de treinamento e eventos da Monroe, não recomendam o uso de amortecedores recondicionados. "Recuperar amortecedores é economicamente inviável. Os recondicionadores de amortecedores apenas limpam e repintam o equipamento usado", garante Silva.

A Monroe e outras marcas disponibilizam serviços gratuitos de checagem eletrônica das condições dos amortecedores. Portanto, não brinque com a segurança e faça tudo como manda o figurino. Nesses casos, é muito melhor evitar possíveis aborrecimentos.